RIO – Numa época em que os padrões de beleza parecem cada vez mais inatingíveis, algumas pessoas extrapolam os limites do próprio corpo e partem em busca de soluções cirúrgicas como se tais procedimentos fossem tão simples como comprar uma roupa ou um carro novo. O cirurgião plástico Marcelo Daher, com consultório no Jardim Botânico, alerta que, em muitos casos, o paciente pode sofrer de um transtorno psíquico cada vez mais comum na atualidade: a dismorfofobia, também conhecida como transtorno dismórfico corporal ou síndrome da distorção da imagem.

— Esses pacientes nunca estão satisfeitos com o resultado de um procedimento cirúrgico, pois não gostam da imagem que enxergam no espelho. Eles sempre vão querer mais e mais. Nesses casos, o médico precisa lidar com a difícil tarefa de convencê-los de que o que eles realmente precisam é de um tratamento psicológico ou psiquiátrico — destaca o cirurgião plástico.

Segundo ele, essas pessoas normalmente sentem algum tipo de insegurança e acreditam que a cirurgia é a solução para recuperar a autoestima e solucionar todos os problemas da vida.

— Muitas vezes, a plástica é contraindicada, pois não há o que corrigir. O problema é convencer o paciente. Sem tratamento, ele vai seguir com a ideia fixa até encontrar um profissional que aceite operá-lo. Em 95% dos casos, a dismorfofobia atinge mulheres magras, que se consideram gordas — afirma.

Daher ressalta que a doença pode também estar associada à bulimia.

PUBLICIDADE

— Na maioria das situações, a pessoa vomita sem precisar forçar. Ela acha que a comida que ingeriu a deixará gorda, ou seja, mais defeituosa. Esse é um típico comportamento de quem tem problema de percepção da imagem — frisa.

As pessoas com o transtorno podem apresentar características distintas. Enquanto parte delas passa o dia em busca de espelhos para ver como está a aparência, outra se esconde de qualquer possibilidade de reflexo de sua imagem.

— Há ainda um grupo que foca essa insatisfação nos órgãos sexuais. No caso do homens, principalmente, com relação ao tamanho — conclui o cirurgião.

Fonte: SITE DO JORNAL O GLOBO http://oglobo.globo.com/rio/bairros/especialista-alerta-para-aumento-no-indice-de-viciados-em-plasticas-19560112?platform=hootsuite

Anúncios